SEGREDOS QUE OS PROFESSORES DE LIBRAS NÃO TE ENSINAM

O QUE É ESPAÇO MENTAL REAL, O ESPAÇO TOKEN E O ESPAÇO SUB-ROGADO? COMO FAZER EM LIBRAS?

Quando as pessoas frequentam um curso de Libras, um dos principais temas de ensino é ajudar os alunos a utilizarem corretamente o espaço neutro ou espaço de sinalização. As práticas didáticas e exercícios geralmente focam em atividades para utilizar a posição dos objetos e pessoas ao redor do aprendiz na sala de aula, a posicionar personagens no espaço e a contação de narrativas com personagens e acontecimentos.

Quando o aprendiz ouvinte não entende o que está envolvido na diferença dessas três práticas comunicativas e como elas se assemelham com a forma dela se comunicar no dia a dia dificulta e atrasa o aprendizado da Libras, no que tange a estabelecer comunicações em Libras mais complexas e significativas.

Para você que está aprendendo a Libras, ou que já tem um bom domínio do idioma, preparei essa postagem para falar sobre  os espaços mentais: “Espaço Real”, “Espaço Token” e “Espaço Sub-Rogado” (LINDELL, 2003).

Por espaços mentais está-se falando sobre como a mente compreende o que estamos falando e como damos significado às coisas e eventos no mundo. Não vou explicar aqui a teoria dos espaços mentais, mas se você tiver curiosidade, há uma dissertação de Mestrado e uma tese de Doutorado que explicam de forma razoavelmente acessível essa teoria e sua aplicação na Libras. CLIQUE AQUI para ler a dissertação de Thais Bolgueroni Barbosa ou CLIQUE AQUI para ler a tese de Magali Nicolau de Oliveira de Araújo

Mas chega de enrolar, você veio aqui para dar mais um passo para uma boa fluência em Libras. Você quer compreender o que os professores de Libras por aí não te explicam e faz com que você demore mais para ter uma boa sinalização! Então, na sequência você vai aprender sobre:

  • Como nós ouvintes realizamos a nossa comunicação e como isso me ajuda a ser fluente em Libras.
  • O que é o espaço mental Real
  • Como fazer em Libras o espaço mental Token
  • Como fazer em Libras o espaço mental Sub-Rogado
  1. COMO NÓS OUVINTES NOS COMUNICAMOS?

O ser humano é muito criativo para narrar eventos, contar histórias. Veja o vídeo “Fazendo Compras no Japão” e depois siga na leitura.

Nessa bem humorada interação comunicativa, o humorista André Santi, se valeu do espaço onde está, o palco do auditório, para interagir com a platéia. Usou o seu corpo para demonstrar a altura relativa dos japoneses. Então, esse lugar onde ele está presente e seu corpo, são percebidos pelos sentidos pelo cérebro. Através dos sentidos, o cérebro cria um espaço mental onde dá significado as informações do meio. Este é o espaço mental Real. É onde a mente compreende onde ela está posicionada e onde estão posicionados os elementos ao seu redor. No caso, a platéia, o palco, o seu próprio corpo e o banco de madeira. Através desses significados o André sabe que deve conversar virado para a platéia, que está a sua frente. Sabe que para se referir ao banco, deve apontar para onde ele está posicionado no palco (veja entre os 45 a 55 segundos). O espaço mental Real, não é o mundo físico, mas é a interpretação que a mente faz do mundo ao seu redor. Nas interações comunicativas usamos o mundo real durante a fala para criar os significados junto com a fala.

Também durante a fala fazemos vários gestos descritivos para criar significados. O humorista, usou muito gestos descritivos para explicar como era um japonês em particular, veja entre os 20 a 30 segundos do vídeo. Então na fala em português, os gestos tem muita importância para uma boa compreensão de uma história. Como na fala em português usamos o som, fica fácil de diferenciar o que é língua do que é gesto.

Além do espaço mental Real, há o espaço mental do Evento. É a forma como significamos os eventos reais ou imaginários, passados ou futuros. Para exemplificar veja a frase:

(1) A muito tempo a traz, existiu um sapo que virou um príncipe.

Na frase (1) há o relato de um evento que ocorreu em um tempo passado. Quando lemos essa frase, em nossas mentes, cria-se um espaço mental de evento, mesmo que a história seja imaginária. Nesse espaço em nossa mente, a gente significa que existe um sapo. Que esse sapo se transformou e que o resultado foi o sapo mudar para um príncipe.

Figura 1: Espaço Mental Evento – um sapo mudou para príncipe.espaço mental evento

Boa parte das conversas das pessoas são sobre eventos. E o André no vídeo conta sobre dois eventos, a filmagem na loja do japonês bravo e a uma compra que resultou em um “obrigado” eterno.

Na parte da narrativa na loja do japonês bravo, o André, nos fala como foi a experiência de fazer um teste tocando a guitarra, diz que pegou o banco, pôs em outro lugar na loja e descreve como foi a reação do japonês. Nestes momentos ele está vivendo a cena, tanto na fala quanto gestualmente, descrevendo a reação do lojista. Nós percebemos que ele não está falando de alguém na platéia. Ele descreve gestualmente a reação do japonês e quando diz “Ai que bonitinho”, está encenando a interação que teve com aquele japonês, lá na loja do japão.

Para essa narrativa, o André usou o palco e seu espaço, para descrever a cena e vivenciar a cena. Na mente houve a interação entre o “espaço mental real” e o “espaço mental evento” em diferentes níveis. Nos exemplos desta narrativa, o André usou o mundo físico presente (espaço real) para vivenciar em evento que já ocorreu. Esse tipo de interação entre o Espaço Mental Real e o Espaço Mental Evento, onde se vivencia a cena, e se descreve os elementos do evento é chamado de Espaço Mental Sub-Rogado. Na interação ele usou tanto o idioma português, quanto gestos descritivos e enfáticos para criar todo um significado e nos fazer rir muito com a situação.

Por esse exemplo gostaria que você entendesse que quando se fala de “Espaço Mental”, “Espaço Sub-Rogado”, “Espaço do Evento”, ou até mesmo de “Espaço Mental Token”, se está falando como nossa mente, nossa capacidade cognitiva, cria significados na interação comunicativa. Eu e você utilizamos isso no dia a dia para nos comunicar.

A questão agora é: COMO UTILIZAR A NOSSA HABILIDADE DE COMUNICAÇÃO NA LIBRAS?

Quando você vai falar em Libras, você tem que ter em mente que você já sabe se comunicar. Você está agregando novas regras ao seu sistema de comunicação. Em português você usa o som para falar o idioma português e todo um sistema gestual para deixar mais clara a informação.

O sistema gestual você pode utilizar praticamente todo nas conversas com os surdos, você “apenas” terá que acrescentar o sinais do idioma Libras para a comunicação. Sei que é muita coisa, mas não é algo de grande complexidade que você não consiga.

Vamos começar com o Espaço Mental Real, nesse nível a compreensão sua e do seu interlocutor surdo é a mesma. Vocês estão compreendendo e significando o mundo ao seu redor. Você não precisa dizer o nome dos objetos ou o sinal dos objetos, você apenas precisa apontar. Se for usar um sistema gestual de comunicação, você pode fazer encenação, usar mímica e pantomima. Tanto para nós falantes de português quanto para os surdos usuários da Libras, vamos compreender essa interação comunicativa. Mas devemos ter bem em mente que há limitações nesse tipo de interação comunicativa. Precisamos de uma língua, de um idioma, para aprofundar os significados.

Para compreender o quanto conseguimos comunicar utilizando a compreensão do nosso espaço ao redor, das coisas que vemos ocorrer e como podemos usar o sistema de gestos, veja os dois videos do humorista Michel Courtemanche.

Esse tipo de história inclusive os surdos gostam muito, pois é muito claro as cenas e situações que estão sendo descritos.

O aprendiz de Libras deve se valer desse seu conhecimento para iniciar interações comunicativas, sem ter receio. No início do aprendizado de um idioma, as frases são simples, mas em Libras podemos potencializar com o sistema gestual. Você só deve ter o cuidado de não acreditar que apenas com gestos você consegue se comunicar plenamente.

Mas como vou usar o Espaço Mental de Evento na Libras? Você não vai usar esse espaço mental de forma especial, ele é a forma como sua mente interprete os eventos tanto para falar (ou sinalizar) sobre um evento, quanto para compreender o que outra pessoa está dizendo a você.  Na comunicação ele é percebido na forma como organizamos e estruturamos a fala sobre um determinado evento, uma operação automática e inconsciente do nosso sistema de comunicação.

O que conseguimos externar na comunicação de forma diferenciada é a interação entre o Espaço Mental Real e o Espaço Mental do Evento. Essa interação automática e inconsciente gera diferentes tipos de espaços mentais, dos quais o que nos é mais relevante para o aprendizado da Libras são o Espaço Mental Token e o Espaço Mental Sub-rogado.  Para ilustrar em Libras, preparei para você um pedaço da narrativa em Libras “A Casa da Baratinha”, sinalizada pelo surdo João. Editei o vídeo, selecionando um pequeno pedaço, reduzi a velocidade do vídeo para ficar mais evidente o exemplo e fiz uma interpretação simples para o português. Veja o vídeo com o exemplo:

O Espaço Mental Token é quando, durante a sinalização, estabelecemos os referentes (personagens e objetos) e os locativos (lugares) em determinados pontos no espaço de sinalização a frente do nosso corpo. A partir do vídeo de exemplo acima, pode-se perceber que em Libras, em vários momentos, estabelecemos referentes no espaço de sinalização como no sinal CAMA, no gesto de apontar e no sinal CAIXA (ali fica a caixa).

Os objetos da casa da baratinha são dispostos a frente do corpo do sinalizador João não de forma aleatória, são organizados de uma forma de como ele sabe, ou imagina, que estão esses móveis. Sobre cada móvel há um comentário sobre ele. Esse tipo de distribuição dos elementos no espaço de sinalização mostra a interação entre o Espaço Mental Real, pois os elementos são distribuídos no ambiente físico a frente do corpo do sinalizador com o Espaço Mental de Evento, pois a existência desses objetos de uma determinada forma montam uma cena.

Em uma narrativa em Libras pode-se apenas estabelecer os referentes (personagens e objetos) e os locativos (lugares como casa, rua, um parque) no espaço de sinalização e falar sobre eles, fazer comentários sobre esses referentes ou locativos.

Para compreender mais como se utiliza de forma adequado o espaço de sinalização, veja dois outros artigos que fiz, “Passos para uma boa fluência em Libras – uso do espaço de sinalização” e “Como ser fluente em Libras – estabelecendo os referentes“.

Entretanto é comum em um ato comunicativa é dizer como ocorreu determinada situação, ou evento. Nesse caso a interação entre o espaço mental real e o espaço mental do evento é mais intensa.

O Espaço Mental Sub-Rogado é quando o sinalizador “empresta o seu corpo” para o personagem e vivencia a cena. Nesse nível de interação comunicativa, o sinalizador utiliza tanto a Libras como gestos na comunicação. Como a Libras e os Gestos são visuais e produzidos pelas mãos, tronco e rostos, eles se misturam, dificultando dizer quando é um gesto, ou quando é um sinal da Libras.

No exemplo acima, o sinalizador João está vivenciando o evento “a baratinha está dormindo”. Vemos o sinal DORMIR, mas a forma como ela dorme pode-se dizer que é um gesto. Na segunda imagem, tem-se o sinal SEGURAR_algo_fino, mas a postura do corpo e do rosto e a abertura da boca para indicar que a baratinha está comendo papel, pode ser interpretado como gestos. Mesmo sendo gestos, conseguimos compreender o ato comunicativo, de forma semelhante ao que compreendemos o teatro feito pelo humorista Michel Courtemanche mais acima.

Este mesmo tipo de cena podemos montar em português ao contar essa história para crianças. O contador poderia dizer para as criancinhas como em (2):

(2) “Aí, enquanto a baratinha dormia ela fazia assim com os jornais.” (faz gestos de pegar os jornais e comer enquanto fica com os olhos fechados “dormindo”).

Dessa forma percebemos que o Espaço Mental Sub-Rogado é utilizado quando se narra eventos e é muito utilizado na Libras. Bons sinalizadores contam boas histórias. Isto é, eles utilizam o ambiente ao seu redor, são fluentes em Libras e enriquecem com detalhes através de gestos.

Espero que essa breve consideração tenha ajudado você a compreender o que são espaços mentais e espaços mentais token e sub-rogado. Quando você ler algo sobre esse assunto, ficará mais fácil de compreender.

Preparei uma série de vídeo aulas sobre esse tema. Vá no meu canal e veja esses vídeos, aproveite para se inscrever.

Você quer fazer um curso de Libras, se inscreva em http://www.librasl2.com.br ou CLIQUE AQUI e preencha o formulário.

Junto a este artigo preparei uma série de vídeo aulas. Veja abaixo:

Espaço Mental Real em Libras

Espaço Mental do Evento em Libras

Espaço Mental Token em Libras

 

Espaço Mental Sub-Rogado em Libras

Anúncios