Com este post começo uma série de artigos que ajudarão você Passo a Passo a se tornar fluente em Libras. Abaixo você irá aprender sobre:

  1. O que é espaço de sinalização?
  2. Como se distribui os sinais no espaço de sinalização?
  3. Construindo significados a partir do correto uso do espaço de sinalização.
  4. Orientações sobre como você pode praticar o correto uso do espaço de sinalização

Primeiramente é importante você já ter os conhecimentos iniciais sobre a Libras. Se você ainda não teve oportunidade de Aprender a Libras, ou queres repassar os início do aprendizado desse idioma, CLIQUE AQUI e baixe gratuitamente o E-Book “Aprenda Libras em 5 Passos – Simples e Descomplicado”.

Para você que já consegue conversar em Libras com os surdos, você pode ser fluente na Língua Brasileira de Sinais, Libras, sim, com as orientações deste post e de outros que publicarei gradativamente. Quero que você sinalize bem e que consiga se comunicar com os surdos e que seja bem compreendida(o) em Libras.

Uma das dificuldades que nós ouvintes enfrentamos ao aprender a Libras é o de organizar os elementos narrativos (as frases e falas) no espaço de sinalização à frente do nosso corpo. Todos os que hoje são fluentes em Libras passaram por esta dificuldade, mas com ajuda  você conseguirá superar as dificuldades iniciais. Você também poderá sinalizar fluentemente por usar bem o espaço de sinalização.

Em complementação a esta postagem, fiz uma vídeo aula CLIQUE AQUI e veja a vídeo aula.

O QUE É O ESPAÇO DE SINALIZAÇÃO?

Como dito anteriormente, o espaço de sinalização é o espaço à frente do corpo do sinalizador onde são organizados os sinais durante a narrativa em Libras.

Fig. 1: representação do espaço de sinalização.

Os sinais não podem ser colocados de qualquer forma neste espaço de sinalização, nem podem todos serem sinalizados na frente do tronco da pessoa que sinaliza. Os sinais devem ser distribuídos em vários pontos e de forma coerente. A coesão e a coerência textual em Libras dependem da correta distribuição dos sinais no espaço de sinalização. Você poderá entender melhor nos exemplos abaixo ilustrados.

Como se distribui os sinais no espaço de sinalização?

Os sinais podem ser distribuídos de diversas formas no espaço de sinalização à frente do corpo do sinalizante, dependendo da dinâmica do fluxo narrativo em Libras. Para quem está aprendendo a ser fluente em Libras, de forma simplificada, mas poderosa nos resultados, é dividir didaticamente o espaço de sinalização em três partes na vertical, a) na frente do tronco, b) à direita e, c) à esquerda (fig. 2). Também é importante dividir em dois espaços na horizontal, I) do peito para cima e II) do peito para baixo (fig. 3)

Fig 2: 3 espaços verticais

   Fig. 3: 2 espaços horizontais

divisao horizontal

No espaço “A”, na frente do tronco do sinalizador, fica o espaço privilegiado do narrador. Quando você está passando informações, ou está narrando um fato, ou evento, é neste local que ficará a sinalização. Os espaços verticais “B” e “C” e horizontais “I” e “II” serão utilizados quando na narrativa em Libras houver personagens e lugares. Por exemplo, nas figuras 2 e 3, o sinalizador está introduzindo o personagem “VOVÓ” na narrativa. Esse personagem foi estabelecido na posição “I, B”. Na sequência dessa narrativa é introduzida a neta na posição “II, B”. Os personagens, ou referentes, poderiam ser estabelecidos nos espaços “B” e “C”, sem a diferença de altura “I” e “II”, mas por se tratar de um adulto e de uma criança, na narrativa, tornou-se significativo indicar essa diferença de altura relativa entre eles.

RESUMINDO:

Você viu que os personagens e locais, devem ser estabelecidos em pontos específicos do espaço de sinalização. Essa orientação é importante pois possibilita a coesão e a coerência textual na Libras. Veremos agora como colocar os personagens (referentes) e lugares (locativos) em diferentes pontos no espaço de sinalização contribuem para uma boa fluência em Libras.

Uso do espaço de sinalização - baixa resolução

Você está gostando do artigo? CLIQUE AQUI e solicite gratuitamente um INFOGRÁFICO  explicando tudo sobre o uso do espaço de sinalização.

 

Construindo significados na Libras a partir do correto uso do espaço de sinalização

Vamos analisar uma sequência de imagens com os sinais da narrativa em Libras “Tatu Bolinha”. Para uma melhor compreensão da explicação a seguir, recomendo que você veja abaixo o vídeo em Libras com um pedaço da narrativa “Tatu Bolinha”, fiz uma edição simples com velocidade reduzida e com legenda.

 

Conforme a narrativa em Libras segue no conto, a “Neta” é colocada no lado direito do narrador, na posição “II, B” (fig. 4).

Fig. 4: Estabelecimento do personagem “Neta”, com o sinal CRIANÇA, à direita do sinalizador.

Tatu Bolinha - eu pequena.png

Na sequência a “Avó” é colocada no lado esquerdo do narrador, na posição “I, C” (fig 5)

Fig. 5: Estabelecimento da personagem “Avó”, à esquerda do sinalizador.

null

Com muita frequência, quando se introduz uma nova informação, um novo episódio, primeiramente você introduz, sinaliza, os personagens, no caso, a neta e a avó. Depois de determinar os personagens e sua posição no espaço de sinalização, segue a sinalização dos acontecimentos. Consegue-se sinalizar de forma clara qual personagem fez o que, e quem diz algo.

Na continuidade do conto em Libras, entre o tempo 11seg e 26seg do vídeo, explica-se que a Avó tem um jardim com muitas flores, que a Avó cuidava e regava o jardim. Como o lado direito e o lado esquerdo já estão ocupados com personagens, o jardim é sinalizado na frente do corpo.

Entre os 31seg e 50seg do vídeo, a sinalização de que a neta estava brincando no jardim e que viu um bichinho se esconder um um buraco na terra é feita na frente do sinalizador, pois ali foi posicionado o jardim.

A partir deste ponto da narrativa em Libras ocorre a interação entre a neta e a Avó, mostrando toda a relevância de posicionar cada uma delas em um dos lados do corpo.

Lembre-se, nesta parte a neta está no lado esquerdo e a avó no lado direito do sinalizador. Aos 54seg do vídeo encontramos o sinal CORRER, mas ele significa mais do que isso, significa “eu(neta) corri até a minha avó”! (Fig 6).

Fig. 6: Sinal CORRER. A “Neta” está correndo até a “Avó”.

null

Como um sinal pode significar tanto? Pela posição correta dos personagens no espaço de sinalização. O sinalizador vira seu tronco para o seu lado direito. Assim ele se torna o personagem “neta”. Ao sinalizar correr, ele o faz em direção ao ponto do espaço de sinalização que está a Avó, inclusive com o olhar fixo naquela posição. Dessa forma, com apenas 1 sinal, consegue-se construir um significado tão complexo.

Se ao sinalizar os personagens “neta” e “avó” fossem colocados na frente do tronco, elas estariam no mesmo lugar. Não ficaria claro que a neta foi correndo até a avó fazendo apenas o sinal “CORRER”. Percebe-se que a coesão e a coerência textual em Libras depende da correta posição dos referentes, dos personagens, no espaço de sinalização. Pouco depois no conto, encontramos outro exemplo que mostra a importância do estabelecimento dos referentes no espaço.

Aos 1min e 23seg do conto, encontramos o sinal “CALMA” que no contexto narrativo significa:

“Vovó diz para neta:

— Acalme-se”

Com apenas a movimentação do corpo do sinalizador para a posição da Avó e 1 sinal, consegue-se significar um diálo. É bom mencionar que a direção do olhar do sinalizador está para baixo, indicando que um adulto está conversando com uma criança. Enfatizando a relevância de anteriormente a neta ter sido sinalizada na posição “II, B” e a Avó na posição “I, C”. (Fig. 7).

Fig 7: Sinal CALMA. “Avó” diz par a “Neta” se acalmar.

null

RESUMINDO:

Você pode observar que quando os personagens são corretamente estabelecidos no espaço de sinalização a construção dos significados fica mais clara, consegue-se construir significados complexos usando-se apenas 1 sinal.

A partir destes dois passos você praticar conscientemente até tornar natural o correto uso do espaço de sinalização!

Uso do espaço de sinalização - baixa resolução  Antes de prosseguir e ver as atividades abaixo.

Você gostou do artigo? CLIQUE AQUI e solicite gratuitamente um INFOGRÁFICO  explicando tudo sobre o uso do espaço de sinalização.

 Pratique sua sinalização em Libras

Para conseguir utilizar as técnicas de uma boa sinalização, primeiramente você precisa ter um conhecimento básico dos sinais e da formação de frases em Libras. Se você ainda não possui esses conhecimentos, você poderá aprender no E-Book “Aprenda Libras em 5 Passos”, ou se preferir, frequentar um curso presencial ou on-line de Libras. A equipe do site LibrasL2 oferta regularmente cursos de Libras e materiais informativos sobre como aprender esse idioma tão fascinante que é a Língua de Sinais. CLIQUE AQUI e veja mais informações no site www.librasl2.com.br (site afiliado).

Para você que já consegue conversar em Libras com os surdos, segue algumas sugestões de exercícios para você praticar:

  1. Elabore uma narrativa simples, com dois ou três personagens. Pegue alguns bonecos ou objetos que irão representar esse objetos. Sinalize o conto em frente a uma mesa, colocando os bonecos em suas posições, à direita, ou à esquerda de você. Quando cada personagem fizer uma fala ou ação, vire seu corpo, como se você agora fosse aquele personagem e faça a fala dele. Treine até ser natural a sinalização. Depois sinalize o conto sem o auxílio dos bonecos. Filme toda a atividade. Ficarei contentes de receber os links com as filmagens de vocês nos comentários deste artigo. Ou nos comentários na página no Facebook.
  2. Escolha um vídeo em Libras que tenha um conto, 1 a 2 minutos são suficientes. Analise como o sinalizador estabelece os personagens em todo o espaço de sinalização. Copie até ser natural, depois conte a história sem copiar, se filme. Compare a sua narrativa com a original e veja onde poderá melhorar. Você também pode enviar o link com essa filmagem nos comentários nesta postagem ou na página do Facebook.

Fluência exige perseverança, prática e boas técnica de aprendizado.

Segue uma sugestão de conto em Libras que você pode utilizar para estabelecer os personagens no espaço de sinalização e poder treinar.

Bibliografia de Referência:

PIZZIO, A. L. et all. Língua Brasileira de Sinais III. UFSC. 2009. Disponível em http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/linguaBrasileiraDeSinaisIII/assets/263/TEXTO_BASE_-_DEFINITIVO_-_2010.pdf

QUADROS, R. M. de (1997). Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed.

QUADROS, R. M. de & KARNOPP, L. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. ArtMed: Porto Alegre, 2004.